Skip to content
Arquivo Histórico de Moçambique recebe Documentação sobre a Sociedade do Madal PDF Print E-mail

Momentos de entrega dos documentosUma delegação da embaixada da Noruega efectuou no passado dia 21 de Julho, uma visita ao Arquivo Histórico de Moçambique, cujo objectivo consistia na oferta de documentação relativa à Sociedade do Madal, uma companhia do ramo agrícola que se dedicava a produção e exportação da Copra, entre outros produtos. Esta companhia a par de outros capitais, contava com investimento norueguês. A documentação ofertada por Knuts Luksa, por coincidência bisneto de um norueguês (Nicolaysen) que no ano de 1919 viajara para Moçambique (colonial) com o objectivo de proceder uma consultoria na (companhia) Sociedade do Madal, com fim único de aferir a viabilidade de se produzir e exportar mais copra desta companhia para a Noruega para a produção do sabão. Nicolaysen chega a Moçambique contratado pelo governo da Noruega, tendo visitado Lourenço Marques, Beira e a Província da Zambézia (local onde passou cerca de 2 meses), onde procurava obter melhores subsídios sobre a companhia do Madal.

Por motivos de mudança de residência, Knuts viu – se na contingência de ofertar esta documentação composta por relatórios e fotos sobre a Sociedade do Madal feitos pelo seu bisavô ao Arquivo Histórico de Moçambique, considerando local apropriado para a sua conservação e preservação, bem como à consulta pública daquele material. Numa das fotos Nicolaysen mostra uma área de plantação, bem como pessoas trabalhando a terra.
A delegação norueguesa era composta por Knuts, que fez a oferta desta documentação que até então era pertença da família, a embaixadora da Noruega em Moçambique Mette Masst, e uma funcionária da embaixada da Noruega, bem como elementos de uma imprensa escrita Norueguesa que veio para cobrir este evento.
No final, Knuts mostrou – se satisfeito por poder partilhar uma documentação que vai enriquecer a pesquisa em Moçambique, referindo que “gostaria de partilhar com alguém este material, porque penso que pode ser útil para muita gente, é um relatório muito detalhado sobre o país, sobre como funcionava o sistema colonial, como o sistema colonial Português lidava com as empresas concessionárias na altura. É muito detalhado, por isso pensei que vale a pena partilhar com o Arquivo Histórico de Moçambique”
Por seu turno Joel Das Neves Tembe, Director do Arquivo Histórico de Moçambique mostrou – se satisfeito com o acto de Knuts, vincando a utilidade que o material terá: “vem enriquecer um vazio existente no conhecimento da história sobre as companhias da Zambézia e no caso específico sobre a Sociedade do Madal. O autor descreve pormenores da vida social, económica e política daquela região, e aprofunda as circunstâncias e dinâmicas da companhia. É um relatório enriquecido com imagens dos locais em que o autor viajou e será uma mais-valia para os investigadores e estudantes que estão interessados em estudar sobre Moçambique, em particular sobre a Zambézia”.
Sobre a confiança cada vez crescente que individualidades e instituições tem com o Arquivo Histórico de Moçambique como local de conservação e preservação da sua documentação, Tembe referiu que “é um desafio, é sinal de que estamos num bom caminho, apesar das dificuldades que temos, as pessoas confiam em nós, acreditam no nosso trabalho, o que nos fortalece e mostra que temos qualificação suficiente para merecermos esta confiança”.
Segundo podemos apurar, esta documentação estará disponível para consulta pública ainda este ano, pelo que os interessados poderão consultar o mesmo no fundo da Companhia da Zambézia.

 

Aceda seu email

webmail.uem.mz
zebra.uem.mz

Revista Arquivo digitalizada