Como é que recebeu o convite para apresentar um tema na Conferencia internacional?

ER: Em primeiro lugar dizer que sinto-me muito feliz e grata pelo convite feito pelo Arquivo Histórico de Moçambique para participar nas celebrações dos 80 anos desta que é a mais importante instituição de conservação de fontes e Arquivos de Moçambique, e uma das maiores da região Austral e da CPLP. Nesta conferência, tive a oportunidade de expor os resultados da minha pesquisa, debater e serviu de oportunidade impar para discutir com os próprios moçambicanos sobre assuntos que lhes dizem respeito, que se referem a sua própria história.

Queremos com esta rubrica passar a trazer o ecoar dos profissionais do Arquivo Histórico de Moçambique nas suas repartições, no seu ponto de trabalho, o seu dia-a-dia, os contornos envoltos na prossecução das actividades e mais. A rubrica a Voz do Arquivo veio para ficar e dará oportunidade também a estudantes, docentes e investigadores para se expressarem e connosco partilharem suas experiências. Acompanhe de seguida a entrevista que se segue, que inicia com uma contextualização, para no formato de perguntas e respostas esmiuçar os processos da conservação e restauro sobre o primeiro livro restaurado no Arquivo Histórico de Moçambique, bem como da actividade de conservação e Restauração, entre outras matérias. Portanto, Bem-vindos ao espaço “A Voz do Arquivo”.