image

espolio 1O Arquivo Histórico de Moçambique recebeu no passado dia 2 de Setembro um espólio de José Tristão de Bettencourt, governador-geral na antiga colónia de Moçambique, entre 1940 e 1946. A entrega deste material que inclui entre outros, documentos não oficiais, secretos e 300 fotografias foi feita pela Fundação Mário Soares na sede do Arquivo Histórico de Moçambique, em Maputo.


O espólio entregue, está organizado em 12 pastas de documentos, 2 caixas de fotografias e 1 caixa de grande formato, incluindo 7883 imagens e objectos digitais que se encontram já classificados.
Falando no acto da recepção dos documentos, o diretor do Arquivo Histórico de Moçambique, Joel das Neves Tembe, considerou que “este é o tipo de iniciativas estimuladas pelo Conselho Internacional de Arquivos, espero que a documentação de Tristão de Bettencourt interesse os estudantes e investigadores e que a colaboração com entidades portuguesas se mantenha”. Tembe referiu ainda que o AHM possui uma documentação sobre Bettencourt “já temos um acervo sobre este Governador, pelo que a documentação hoje entregue vem enriquecer ainda mais o acervo de que dispomos, e serve de mais-valia para os moçambicanos, investigadores e estudantes em particular, porque não precisarão de ir a Portugal para consultar sobre esta matéria”.
Em representação da Fundação Mário Soares, Alfredo Caldeira considerou que este “é um importante espólio que se reveste de muita informação sobre as finanças, sobre o indigenato, sendo assim um arquivo que permite bons estudos sobre Moçambique”. Caldeira espera que a partir desta cerimonia, que “se renovem as condições de cooperação entre as nossas instituições”.
Por sua vez o embaixador de Portugal em Moçambique, José Augusto Duarte realçou que “muito há a discutir em Moçambique sobre o período colonial a que esta documentação faz referência, pelo que é um grande incentivo para o Arquivo Histórico de Moçambique e vai permitir que muita gente tenha acesso a estes materiais para investigações”.
O material ora entregue, congrega informações que não estão directamente relacionadas com as funções profissionais assumidas por José Bettencourt. De realçar que Bettencourt assumiu diversos cargos ligados à Administração Colonial em Moçambique.