image

fotofuncionarios

Funcionários de diferentes instituições foram capacitados em matérias de gestão, preservação e conservação de documentos num curso promovido pelo Arquivo Histórico de Moçambique (AHM) entre os dias 01 e 14 de Agosto. Dos dezassete participantes, dez são do Ministério da Administração Estatal e Função Pública, quatro do Instituto Nacional de Investigação Pesqueira, dois vindos do Instituto Nacional de Segurança Social e um da Direcção de Cultura da UEM.O curso tinha como objectivo treinar e capacitar os funcionários das instituições públicas em métodos de conservação de documentos de arquivo de suporte papel segundo as normas de Conservação Preventiva.

O curso teve a duração de 10 dias com uma carga horária de 40 horas, sendo 28horas de aulas teóricas e 12 horas de aulas práticas.

Uma das participantes, avaliou o curso nos seguintes termos “Em primeiro lugar, endereçamos saudações aos formadores e agradecer a oportunidade que o AHM criou, encorajamos a instituição que continue com a sua missão de formar quadros na área de arquivos o que permite espelhar aquilo que é a realidade das nossas instituições. Há aspectos comuns que perigam a gestão de arquivos por um lado e por outro, há um conjunto de acções que devem ser levados a cabo, propondo o AHM que visite às instituições para que façamos o trabalho com conhecimento. Não é o fim, mas é uma jornada iniciada para garantir a gestão de documentos. O papel e o contributo dos formadores podem deixar lições, pois as aulas teóricas e práticas permitiram vários debates em torno de matéria arquivística. Realçar que saímos daqui com uma missão de levar mudanças junto das nossas instituições. Agradecemos o Director do AHM e reiterar o nosso compromisso que marca o fim de uma jornada e o início da outra”.

Pedro Manuel Loforte, Funcionário do Ministério da Administração Estatal na Comissão de Avaliação de Documentos, falando ao Biarquivo realçou que o curso respondeu as expectativas e durante a formação, foram abordados vários aspectos concernentes à preservação de documentos. Entretanto, depende da sensibilidade de quem de direito priorizar e valorizar os arquivos nas instituições públicas no geral.

No acto da sessão de encerramento do curso, o Director do AHM, Joel das Neves Tembe, elogiou o gesto singular que mostra que as relações entre os formadores e os formandos foram boas, não só na transmissão de conhecimentos, mas também na criação de relações humanas. Salientou que o curso é uma resposta ao interesse cada vez maior do Governo na preservação de documentos.